LINK COM IMAGENS AQUI:  https://we.tl/t-9e1Knp7JeJ

 

Circunstância rara no berço do esporte no país levou ao cancelamento da etapa deste domingo. Nada que atrapalhasse a consagração dos campeões e a animação dos participantes em Barra Grande (PI)

 

A natureza bem que tentou pregar uma peça, mas não adiantou. Se o domingo não trouxe os ventos esperados para o último dia do XP Sertões Kitesurf e forçou o cancelamento do percurso entre Camocim (CE) e Barra Grande (PI), o saldo desse desafio único, um verdadeiro rally das águas, foi mais que positivo. E não foram apenas as palavras dos participantes a confirmar. Sorrisos, alegria e alto astral na última parada da prova, além do desejo de voltar em 2023, foram o melhor sinal da satisfação com o desfecho de uma aventura iniciada quarta-feira (2) em Cumbuco, atravessando algumas das mais propícias regiões para a prática do esporte no planeta.

O que aconteceu ao longo da semana da segunda edição do Sertões Kitesurf foi algo raríssimo em um trecho de litoral no qual os ventos sopram forte – o terceiro dia também não teve regata, por conta das condições desfavoráveis. O que os entendidos creditam ao fenômeno climático El Niño.

Os três dias em que foi possível velejar normalmente testaram os atletas em meio a visuais deslumbrantes, contaram com ótimas disputas e consagraram campeões merecidos. Houve quem voltasse ao alto do pódio depois de viver o gosto em 2021 mas, para a grande maioria, a conquista foi inédita.

Foi o caso do cearense Alex Neto, que levou o troféu de campeão na Pro Masculino como o mais rápido das três etapas. Afastado há algum tempo das competições, o kitesurfer nascido em Caucaia (onde está Cumbuco) não desperdiçou a oportunidade e bateu o vencedor do ano passado Reno Romeu. No Feminino, a festa foi de Gabi Reynard, que havia batido na trave na edição inaugural. A instrutora de kitesurf, paulista de nascimento, mas radicada no Preá, em Cruz, também não deu chance às adversárias nas três etapas.

Na Pro Jr., Luiz Paulo Cordeiro Nascimento, o Luizinho, mostrou por que é uma das revelações do kite brasileiro. A nova geração, aliás, vem forte, como confirmaram os desempenhos de Vittor Branco Motta, Kauan Esmerino e do caçula do Sertões, Luccas Branco Motta, com apenas seis anos.

Regularidade

Vitória de um representante da casa também na Elite Masculino. Emmanuel de Brito levou a melhor em uma categoria extremamente equilibrada. Fez valer a regularidade, o segredo para brilhar em uma prova de longa duração – somou dois segundos e um terceiro lugar. Na versão Feminina, Julieta Biasotti, argentina que vive em São Paulo, ‘varreu’ o Sertões. Foi mais uma a liderar os três dias.

Mineiro de Poços de Caldas, mas também vivendo em São Paulo, Pedro Mantovani foi mais um a enfrentar uma concorrência acirrada para chegar ao título na Adventure Masculino. O duelo com Caio Gutierrez foi um dos pontos altos da prova. O detalhe é que a paixão pelo Kitesurfe é recente e chegou com a pandemia. Pedro jogou rúgbi pela Escola Politécnica de SP (Poli) e também presidiu a equipe. Festa de Marcela Montolar na Adventure Feminino. Pódio em 2021, dessa vez ela ocupou o degrau mais alto, graças a três primeiros lugares.

Uma cirurgia recente no ombro não impediu Marcos Botelho de vencer na Master Masculino. A baiana Cândida Liberato levou o troféu no Feminino.

Os dois únicos bicampeões da prova vieram da Gran Master. O capixaba Fernando Giestas e a paulista Denise Roschmann dominaram a Master no ano passado e, com a criação da nova categoria para kitesurfers com 55 anos ou mais, repetiram o feito.

 

O que eles disseram:

 

Alex Neto, campeão Pro Masculino

“É uma conquista muito importante para a minha carreira, tenho que agradecer à XP pelo convite para estar aqui. Foram muitas emoções, muito esforço físico e superação, mas é isso, no fim deu tudo certo. Quero parabenizar a equipe que fez o Sertões acontecer, ano que vem tem mais”.

 

Gabi Reynard, campeã Pro Feminino

“Não tem palavras que resumam o que foi esse Sertões 2022. A prova foi diferente este ano, mas o principal intuito era o mesmo, de juntar essa grande família que é a família Sertões no maior rally de kite do mundo. Foram dias de downwind e upwind, obstáculos; de traçar objetivos sobre o que fazer em cada percurso. É preciso poupar esforço, saber onde gastar mais e menos energia. Por causa do El Niño não tivemos vento em dois dias, mas foi uma experiência única e desafiadora.

 

Luiz Paulo Cordeiro (Luizinho), campeão Pro Jr.

“Para mim esse título representa muita coisa. Minha primeira participação e já consigo o primeiro lugar, muito feliz. Sem palavras para descrever, venci o maior rally do mundo. Espero voltar para competir de novo”.

 

Emmanuel de Brito, campeão Elite Masculino

“Foi minha primeira vez no Sertões, tentei participar ano passado, mas não consegui. Velejo de kite há 10 anos, já competi em vários eventos, regatas, mas a competição aqui é diferente. É minuto a minuto, você não pode descansar um segundo sequer. Foi um mix de novidade, de empenho, de não poder errar. Acredito que mereci esse primeiro lugar porque não errei. Foi um evento nota mil”.

 

Julieta Biasotti, campeã Elite Feminino

“Vim para o Sertões pensando apenas em terminá-lo. E aí venci o primeiro dia e foi só manter. Sinto que estou representando o kitesurfe feminino. Foi muito bom vejelar com toda segurança, sabia que, se acontecesse alguma coisa, logo seria resgatada. Estou muito feliz”.

 

Pedro Mantovani, campeão Adventure Masculino

“Foi muito disputado, competidores excelentes, distâncias muito próximas. Velejo há apenas dois anos e nunca tinha participado de um evento assim. Defini minha participação na última hora, dependia de uma desistência e ela aconteceu, entrei na vaga dela. Valeu a pena tanto pela competição quanto pelas pessoas que eu conheci”.

 

Marcela Montolar, campeã Adventure Feminino

“Foi incrível participar dessa experiência, eu já havia competido ano passado e o rally realmente proporciona a chance de superar nossos limites. Nos incentiva a ir além. Agradeço a todos os que fizeram parte da organização, os jet mens, apoios; que nos deram a chance de viver tudo isso com segurança”.

 

Marcos Botelho, campeão Master Masculino

“É uma alegria completar meu segundo Sertões, é um evento que, além dos percursos incríveis dá a chance de conviver ao longo de cinco dias com muita gente legal, nós criamos uma grande família. Eu venho de uma cirurgia no ombro, achei que não conseguisse estar aqui, mas o rally me deu a força extra para a recuperação. Procurei não levar nenhum tombo e não errar ao longo dos dias. Não esperava ganhar, mas quem consegue manter a regularidade vai bem, e foi o meu caso”.

 

Denise Roschmann, campeã Gran Master Feminino

“O evento mais uma vez foi maravilhoso, é muito gostoso fazer parte dessa prova, fazer amizades. Muito especial, ainda mais por velejar com meu filho (Pedro Roschmann, da Adventure Masculino). Estarei aqui no ano que vem”.

 

XP Sertões Kitesurf

Classificação final

 

Pro Masculino

  1. Alex Neto (CE), 3 pontos perdidos
  2. Reno Romeu (RJ) 13
  3. Yaron Moura (CE) 13
  4. Francisco Sales (RN) 13
  5. Jailson Sena (CE) 14

 

Pro Feminino

  1. Gabi Reynard (CE) 3 pontos perdidos
  2. Maria Rojas (SP) 8
  3. Bia Silva (PI) 9
  4. Bruna Kajiya (SP) 15

 

Pro Jr.

  1. Luiz Paulo Nascimento (CE) 3 pontos perdidos
  2. Vittor Branco Mota (RJ) 6
  3. Kauan Esmerino (CE) 9
  4. Luccas Branco Mota (RJ) 13

 

Elite Masculino

  1. Emmanuel de Brito (CE) 7 pontos perdidos
  2. Fabio Câmara Ferreira (MA) 9
  3. Bruno Simão (MG) 10
  4. Francisco Gil Alencar (MA) 13
  5. Edson Zandonadi (MA) 13

 

Elite Feminino

  1. Julieta Biasotti (SP) 3 pontos perdidos
  2. Priscila Grubert (CE) 6

 

Adventure Masculino

  1. Pedro Mantovani (SP) 4 pontos perdidos
  2. Caio Gutierrez (SP) 5
  3. Pedro Roschmann (SP) 9
  4. Otávio Sydriao (CE) 14
  5. Shawn Ahern (MG) 18

 

Adventure Feminino

  1. Marcela Montolar (SP) 3 pontos perdidos
  2. Melina Domingos (SP) 10
  3. Luiza Abrão Rocha (SP) 11
  4. Renata Donatelli (SP) 14
  5. Nathalia Martino (SP) 14

 

Master Masculino

  1. Marcos Botelho (SP) 3 pontos perdidos
  2. Bruno Fagundes Vianna (SP) 8
  3. Thomas Klein (Alemanha) 11
  4. Manoel Alencar (MA) 16
  5. Umberto Moruzzi (SP) 18

 

Master Feminino

  1. Cândida Liberato (BA) 3 pontos perdidos

 

Gran Master Masculino

  1. Fernando Giestas (ES) 3 pontos perdidos
  2. Said Aiach Neto (SP) 9
  3. Vítor Pereira (Portugal) 10
  4. Paulo Feitosa (MG) 11

 

Gran Master Feminino

  1. Denise Roschmann (SP) 3 pontos perdidos

 

 

XP Sertões Kitesurf

Roteiro

 

1/11 – Check-in Cumbuco (Kite Cabana Lounge)

2/11 – Cumbuco – Guajiru (Guajiru Kite Center)

Elite e Pro -109Km; Adventure/Master/Grand Master – 65Km

3/11 – Guajiru – Ilha do Guajiru (Pousada Bate Vento)

Elite e Pro – 95Km; Adventure/Master/Grand Master – 64Km

4/11 – Ilha do Guajiru – Preá (Rancho do Kite) * cancelada por falta de vento

Elite e Pro – 75Km; Adventure/Master/Grand Master – 37Km

5/11 – Preá – Camocim (Bistrô Kite)

Elite e Pro – 96Km; Adventure/Master/Grand Master – 54Km

6/11 – Camocim – Barra Grande (Barra Grande Kite)

Elite e Pro – 68Km; Adventure/Master/Grand Master – 54Km

 

Siga-nos em nossas redes sociais e saiba tudo sobre o XP SERTÕES KITESURF:

Instagram: @sertoes.kitesurf

 

Comunicação XP Sertões Kitesurf

Meg Cotrim

11.99182 8180

 

Rodrigo Gini

31.99616 4179

 

 

Leave A Comment

ASSISTA AO MANIFESTO SERTÕES